As pessoas possuem dúvidas frequentes sobre os problemas oftalmológicos e seus tipos de tratamentos. Selecionamos alguns questionamentos feitos pelos pacientes no consultório. Estamos a disposição para quaisquer outro tipo de dúvida a respeito a oftalmologia, mande seu questionamento através do nosso formulário de contato.

De forma alguma. O olho permanece intacto, em sua posição normal. Isso é possível porque um instrumento cirúrgico extremamente delicado mantém o olho aberto. Assim, evita que o piscar interfira no trabalho do cirurgião.
A técnica mais utilizada no mundo para remoção da catarata é o ultra-som. Os lasers são usados em Oftalmologia em cirurgias de glaucoma, retina e para correção de miopia.
A cirurgia moderna para a retirada total da catarata é chamada de facoemulsificação e a sua invenção revolucionou a Oftalmologia. A cirurgia é feita sob anestesia tópica. Não é necessário anestesia geral. Através de uma incisão muito pequena, inferior a três milímetros, é inserido um aparelho que irá “quebrar” a catarata em vários pequenos pedaços e aspirá-la, como se fosse um aspirador de pó.
Imediatamente após a retirada, uma lente intraocular (LIO) é inserida através da mesma abertura da córnea. Essa lente entra toda dobrada e somente dentro do olho é que irá será desdobrada, adquirindo exatamente a sua posição correta.
O pós-operatório da cirurgia de catarata é bem tranquilo. O paciente não fica internado, não precisa fazer dieta especial, não precisa evitar ler ou assistir jornal. Só terá que usar colírios prescritos de forma correta e evitar coçar os olhos.
Depende da lente implantada, o paciente já sai do hospital enxergando muito melhor. As cores são mais nítidas, mais claras. Já é possível ler aquelas letras pequenas que só antes só ficavam visíveis com o uso dos óculos.
Não, se a sua higiene não for adequada, corre o risco de infecções.
Não. Com as técnicas modernas mesmo catarata nos estágios iniciais pode ser removida e substituída pela lente intraocular, para que não interfira mesmo nas atividades mais simples de uma pessoa. É que pelos métodos antigos, a catarata era retirada através de um corte grande no olho, e em um único pedaço. Para que isso ocorresse com sucesso era preciso que o centro da catarata estivesse bem duro. Ou seja, que ela estivesse “madura”. Hoje o pensamento é diferente.
A lente intraocular irá substituir a nossa lente natural do olho que, com a idade, ficou opaca. Sem ela, seríamos obrigados a usar óculos bem grossos para enxergarmos razoavelmente.
Não. As lentes intraoculares são fabricadas em material inerte, que não sofre rejeição por parte do olho.
Sim. Existem lentes que corrigem para enxergar melhor de perto, de longe, dentre outras.
Sim. As lentes multifocais corrigem a visão para longe e para perto.
É o aumento da tensão ocular que produz lesões no nervo óptico. Se não se detecta a tempo, pode provocar problemas na visão ou mesmo cegueira, só um oftalmologista pode prevenir estas situações.
Uma inflamação da conjuntiva que se manifesta com vermelhidão. A sua origem costuma ser alérgica, infecciosa ou por secura ocular. Pode-se confundir com queratite (infecção da córnea) ou irite (inflamação no interior do olho) que são perigosas.